CARTÓRIO-VALENTIN-MANIERI-6

IMPOSTO E GASTOS COM CARTÓRIO ENTRAM NO CRÉDITO IMOBILIÁRIO

A Caixa anunciou ontem (2) uma série de estímulos para o setor imobiliário. Entre as medidas informadas pelo presidente do banco, Pedro Guimarães, estão o registro eletrônico do contrato habitacional e a opção de incluir no financiamento os valores devidos em ITBI (Imposto sobre a Transmissão de Bens Imóveis) e demais custas cartorárias para pessoas físicas. Pelo menos 30% dos cartórios do Estado já estão aptos para a realização dos trâmites online e até o dia 13 deste mês, período no qual iniciam as operações por todo o país, mais registradores estarão adequados. O setor imobiliário aponta para nova injeção de ânimos com mais facilidades.

De acordo com a Caixa, por meio da Plataforma Centralizada do Colégio do Registro de Imóveis, o registro eletrônico de escrituras para contratos de pessoa física de empreendimentos financiados será realizado de forma eletrônica, com troca de arquivos entre o banco e o respectivo cartório a partir do próximo dia 13 de julho.

Segundo o tabelião Ely Ayache, presidente da Anoreg- -MS (Associação dos Notários e Registradores de Mato Grosso Sul), “essa já era uma inovação que estava sendo estudada desde o início do ano e agora com a pandemia, acabou acelerando a agilização do registro”.

“Com isso, a pessoa ao comprar um imóvel realiza a escritura e o cartório de notas já encaminha eletronicamente, assina digitalmente e encaminha para o registro de imóveis. A caixa também fará a mesma coisa quando os imóveis forem adquiridos por um financiamento. No Estado temos uma central de registros que será implementada para receber todos os documentos. Alguns cartórios locais já estão dentro dessa central. Acredito que ainda neste ano, todos estejam aptos para oferecer esse tipo de atendimento”, completou.

O tabelião afirma que mais da metade do tempo será reduzido e procedimentos poderão ser finalizados em menos de uma semana. No caso de financiamento serão necessários até 5 dias e nas escrituras, entre 10 e 15 dias.

“Além de dar mais eficiência ao trabalho vai permitir uma redução de tempo no registro dessas escrituras. Atualmente, de forma presencial, demora em torno de 10 a 15 dias quando se tratam de financiamentos e até 30 dias para escrituras. Com a padronização, mesmo que ela leve algum tempo até que todos estejam adaptados, teremos uma economia neste primeiro momento de até metade do tempo, que conforme os cartórios se adequarem será ainda maior”, projeta Ayache.

Outra medida anunciada foi o financiamento das custas cartorárias e despesas de ITBI com recursos do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) e do SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo), para imóveis com valor de avaliação de até R$ 1,5 milhão.

Atualmente, essas despesas representam em torno de 2% a 5% do valor do imóvel e são pagas pelo próprio cliente. O limite das custas financiáveis é de 5% sobre o valor acordado pelo cliente para operações contratadas com recursos SBPE. Com recursos do FGTS, o limite é de 4%.

O valor total do contrato do cliente (relativo à compra do imóvel, mais financiamento das custas cartorárias e ITBI) deve estar dentro dos limites aprovados, observando sua capacidade de pagamento e o valor máximo permitido para o programa em que ele se enquadra.

João Araújo, presidente do Sindimóveis-MS (Sindicato dos Corretores de Imóveis), afirmou que as ações trouxeram um novo ânimo para o setor.

“O mercado imobiliário está animado, tivemos as novidades anunciadas e o financiamento das custas cartorárias e o ITBI. Isso dá uma facilidade para o cidadão na contratação, pois alivia a despesa inicial dos mutuários no momento da aquisição da casa própria. De imediato foram liberados R$ 2,4 bilhões de liquidez para o segundo semestre de 2020, com isso, os custos poderão ser incluídos. Essas novas linhas vieram para ajudar muito e aumentar a possibilidade de crédito”, comemorou.

 Com descontos de R$ 3 mil, ‘Vem Morar’ é prorrogado até setembro

Além disso, Adão Castilho, presidente da Acomasul (Associação dos Construtores do Mato Grosso do Sul), pontua que o programa “Vem Morar”, que inicialmente teria duração de 60 dias, foi prorrogado até setembro. A iniciativa visa que as construtoras e incorporadoras concedam desconto mínimo de R$ 3 mil sobre o valor de cada imóvel como incentivo. Acompanhada das demais medidas anunciadas, a tendência é de retomada de lançamentos imobiliários que antes estavam parados.

 “Essas mudanças vêm ao encontro da boa adesão ao programa Vem Morar da Caixa. Além do projeto, temos a taxa Selic e as facilidades. Todas essas novidades vão auxiliar e são muito bem-vindas para que o setor imobiliário alavanque as vendas e as construtoras já comecem a fazer novos lançamentos”, opinou.

Matéria retirada do Jornal O Estado de Mato Grosso do Sul

15

VEM AÍ UM CONGRESSO DO MERCADO IMOBILIÁRIO COM PARTICIPAÇÃO DA ACOMASUL

O presidente da Acomasul e vice-presidente da Fenapc, Adão Castilho, vai participar de um Congresso do Mercado Imobiliário de Mato Grosso do Sul. O evento será por meio de uma LIVE no dia 25 de junho das 8h às 13h.

Castilho será um dos debatedores do tema Novos Vetores de Desenvolvimento Imobiliário no Mato Grosso do Sul. Este debate específico começa às 12h.

A associada da Acomasul, Viviane Matos do Sebrae, também fará palestra com o tema Empreendedorismo no Mercado Imobiliário – Como ter uma gestão mais eficientes em incorporadoras, construtoras e imobiliárias. A palestra da Viviane será às 8h15min.

Nosso associado Ian Yamato Kawanami também participará do evento.

A Acomasul proporciona mais uma ferramenta de conhecimento para o associado por meio da participação neste Congresso. Temos certeza que os debates vão clarear ideias e traçar direcionamentos para a retomada do setor da construção civil pós-pandemia.

projeto-para-o-setor-da-construc-800x451

O PRESIDENTE DA ACOMASUL, ADÃO CASTILHO, FOI ENTREVISTADO PELO SBT-MS PARA FALAR DA CAMPANHA VEM MORAR. CONFIRA NA REPORTAGEM OS BENEFÍCIOS DA CAMPANHA QUE TEM O APOIO DA ACOMASUL.

Projeto para o setor da construção civil vai facilitar a compra de imóveis

Uma campanha para aquecer setor da construção civil promete benefícios para os empresários do setor e também para quem quer comprar algum imóvel.

O presidente da Acomasul, Adão Castilho, foi entrevistado pelo SBT-MS para falar da Campanha Vem Morar. Confira na reportagem os benefícios da Campanha que tem o apoio da Acomasul.

Publicado por Acomasul em Terça-feira, 2 de junho de 2020
MORAR-BEM

CAMPANHA PARA AQUECER SETOR DA CONSTRUÇÃO CIVIL DÁ DESCONTO EM IMÓVEIS

Várias entidades ligadas à construção civil de Mato Grosso do Sul participam da campanha Vem Morar, que oferece vantagens na compra do imóvel. A campanha é uma realização da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), e Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (ABRAINC), em parceria com a Caixa Econômica Federal.
A campanha Vem morar contempla desde o segmento econômico, como unidades do programa Minha Casa Minha Vida, até empreendimentos de alto padrão. Em ambos os casos, o desconto mínimo será de R$ 3 mil sobre o valor do imóvel. Além disso, a CEF concede carência de 6 meses para o início do pagamento de financiamentos.
A campanha Vem Morar vai até o dia 30 de junho, e o objetivo é preservar o emprego como também gerar novos postos de trabalho na construção civil durante o período de pandemia do coronavírus.  A indústria da construção é o segundo maior empregador do país, com cerca de 2 milhões de trabalhadores com carteira assinada e outros 4 milhões que se ocupam formalmente de maneira indireta.
O governo federal sabe da importância da cadeia da construção civil para e economia, já que representa 3,7% do PIB do Brasil, movimentando assim R$ 432 bilhões por ano. Por ser uma atividade essencial, o segmento em Mato Grosso do Sul praticamente não parou durante a pandemia. Os canteiros de obras reforçaram os protocolos para manter as atividades em um ambiente de segurança sanitária para proteger o trabalhador contra a Covid-19.

As várias entidades ligadas ao setor da construção em Mato Grosso do Sul acreditam que as facilidades com os descontos e a carência para começar a pagar o financiamento são grandes atrativos para a aquisição de imóveis. É uma questão de oportunidade, acreditar que este período de pandemia terá um fim em breve, e que muitas famílias poderão recomeçar a vida normal com a tão sonhada casa própria.
Outra grande vantagem em adquirir o imóvel agora é que muitas famílias terão um tempo maior para se ajustarem na nova moradia, já que a orientação é para que as pessoas fiquem o máximo de tempo possível em casa.
As entidades que fazem parte da campanha estão devidamente identificadas com o slogan Vem Morar. São elas, Associação dos Construtores de Mato Grosso do Sul (Acomasul), Sindicato
as entidades envolvidas na campanha regional do Vem Morar, está a Associação dos Construtores de Mato Grosso do Sul (ACOMASUL); Sindicato da Indústria da Construção (SINDUSCON-MS); Sindicato da Habitação (SECOVI); Sindicato do Comércio Varejista de Materiais de Construção de Campo Grande (SINDICONSTRU); Sindicato dos Trabalhadores na Construção Civil e no Mobiliário de Campo Grande (SINTRACOM); Associação dos Comerciantes de Material de Construção (ACOMAC); Conselho Regional dos Corretores de Imóveis (CRECI) e Sindicato dos Corretores de Imóveis de Mato Grosso do Sul (SINDIMÓVEIS). Todas entidades consideram que a campanha Vem Morar já estimulou as vendas e promoveu até lançamentos de imóveis em plena pandemia.
Para o presidente da ACOMASUL, Adão Castilho, esta nova medida vai beneficiar tanto os consumidores quanto aqueles empresários que estão com dificuldades no caixa. “Um grande benefício é a antecipação das etapas da obra, ou seja, antes de concluir a obra, até 10% do valor do financiamento será antecipado para as empresas, e isso vai ajudar quem está com problemas de caixa. Estamos vendo que os empresários da construção civil não pararam. As vendas estão muito boas, e, aqueles imóveis que estavam com dificuldade para vender foram vendidos”, pontuou Castilho.

14

PRESIDENTE DA ACOMASUL CONCEDE ENTREVISTA SOBRE CAMPANHA DE INCENTIVO NA CONSTRUÇÃO CIVIL

Programa aquece setor com desconto na compra e adiantamento a construtores.

Na contramão da pandemia, ação reúne nove entidades do ramo para facilitar negócios

O mercado imobiliário de Mato Grosso do Sul comemora o resultado da união entre todos os segmentos do setor para o desenvolvimento do programa “Vem Morar”. Idealizado pela CBIC (Câmara Brasileira da Indústria da Construção) e pela Abrainc (Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias), a iniciativa visa potencializar as medidas de estímulo ao mercado oferecendo condições especiais, aplicadas pela Caixa Econômica Federal até o dia 30 de junho. Com isso, o setor já comemora vendas melhores e até mesmo o lançamento de novas obras em meio à pandemia.

De acordo com informações da Caixa, os clientes poderão obter carência de até seis meses para começar a pagar o financiamento imobiliário, de imóveis novos ou usados, adquiridos com o FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) ou pelo SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo). Além disso, será possível obter das incorporadoras um desconto de R$ 3 mil sobre o valor do imóvel.

Em contrapartida, os construtores terão acesso à liberação antecipada de até duas parcelas na construção individual sem vistoria, o que vai possibilitar “fôlego” aos caixas das empresas. Para aderir ao programa, a empreiteira deve requisitar à Caixa. O prazo de resposta é de até 24 horas.

Segundo o presidente do Secovi-MS (Sindicato da Habitação de Mato Grosso do Sul), Marcos Augusto Netto, a campanha vai estimular ainda mais o mercado do Estado, fazendo com que, mesmo em tempos de crise, novos investimentos imobiliários sejam consolidados.

“Não temos dúvidas de que este projeto vai estimular a nossa economia, evitar o desemprego e até mesmo aumentar a oferta de trabalho na construção civil. A ideia é trabalhar em conjunto com as nove entidades da construção imobiliária. É um trabalho bem amplo, já temos construtoras finalizando a sua contratação com a Caixa, e vemos que os efeitos estão sendo observados, teremos imóveis sendo lançados no meio da pandemia”, destacou.

Em abril, a Caixa anunciou uma série de medidas emergenciais para auxiliar durante a crise provocada pela pandemia. Na ocasião, os projetos totalizaram R$ 43 bilhões. Além disso, em março, decretou-se uma nova redução na taxa de juros e autorizou-se a suspensão do pagamento das parcelas de financiamentos, por dois meses.

Antecipação socorre empreiteiras com desfalque no caixa.

Para Adão Castilho, presidente da Acomasul (Associação dos Construtores do Mato Grosso do Sul), esta nova medida vai beneficiar tanto os consumidores quanto aqueles empresários que estão com dificuldades no caixa.

“Um grande benefício é a antecipação das etapas da obra, ou seja, antes de concluir a obra, até 10% do valor do financiamento será antecipado para as empresas, e isso vai ajudar aquelas que estão com problemas de caixa. Estamos vendo que os empresários da construção civil não pararam.

As vendas estão muito boas, e aqueles imóveis que estavam com dificuldade para vender foram vendidos”, pontuou.

Para o presidente do Sindimóveis- MS (Sindicato dos Corretores de Imóveis de Mato Grosso do Sul), João Araújo Filho, a união entre os nove segmentos do setor imobiliário será fundamental para a garantia de uma recuperação acelerada.

“Neste momento de pandemia, a união será um fator determinante para a recuperação da economia do país e do setor imobiliário. A campanha é uma ótima iniciativa para quem busca a compra de um imóvel e assim, aquecer o mercado imobiliário. Com os corretores de imóveis podendo vender, e os bancos com melhores linhas de financiamento, o Brasil e Mato Grosso do Sul não podem parar”, afirmou.

Informações: Jornal O Estado de Mato Grosso do Sul, 21 de maio de 2020.

WhatsApp Image 2020-05-19 at 12.50.14

ACOMASUL REALIZA REUNIÃO DA DIRETORIA POR MEIO DE LIVE

Nesta terça-feira, a Acomasul realizou a reunião da diretoria por meio de LIVE. A maioria dos diretores participou do encontro.

O presidente da Acomasul, Adão Castilho, afirmou que por conta da pandemia de coronavírus, a 3º Expoacom-MS foi adiada para o ano que vem. “No entanto, vamos fazer nossa confraternização no final do ano, e de preferência junto com as eleições para a nova diretoria”, disse Castilho.

Durante a LIVE, o presidente pediu que cada diretor desse um panorama sobre a atual situação dos seus negócios. “Percebemos que todos diminuíram o ritmo de construções, mas continuam girando os negócios em cerca de 40%. Isso é muito importante até mesmo porque ajudamos a movimentar a economia”, afirmou Castilho. Segundo o presidente da Acomasul, é de suma importância não deixar de construir porque ao fim da pandemia quem tiver imóveis prontos terá maior oportunidade de negócio.

Outra constatação durante a LIVE é que a maioria dos diretores – os que tinham casa para vender – conseguiram concretizar a comercialização durante a pandemia. “Isso se deve a carência de 6 meses para pagamento da primeira prestação pela CEF, e também pela oportunidade do momento já que alguns imóveis tiveram desconto”, explica Castilho.

O presidente da Acomasul finalizou a reunião com um discurso otimista. “Dentro de alguns meses, tenho certeza que nossa rotina estará muito próxima do normal. O importante é que nosso setor continua fomentando a economia”, finalizou Castilho

índice

FIQUE POR DENTRO DE UMA CAMPANHA PARA INCENTIVAR OS NEGÓCIOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL⠀


⠀A Acomasul também apoia a campanha Vem Morar que tem o objetivo de alavancar os negócios da construção civil. Participe da palestra nesta terça-feira, (19), às 16h, e fique por dentro de todos os detalhes.⠀

Segue o convite e o link para inscrição na palestra. Confira também detalhes da campanha Vem Morar.⠀

https://forms.gle/uybYe82J2T78Xz1a7

WhatsApp Image 2020-05-13 at 08.47.36 (1)

PRESIDENTE DA ACOMASUL PARTICIPA DE LIVE PARA ELEIÇÕES DA DIRETORIA DA CBIC

O presidente da Acomasul, Adão Castilho, participou na manhã desta quarta-feira, (13), da LIVE para as eleições para a diretoria da CBIC. Castilho também é vice-presidente da FENAPC, que é filiada à CBIC.

O presidente da CBIC, José Carlos Martins, foi reeleito para o período de 2020/2023. Ele encabeçou a chapa única para as eleições.

A LIVE reuniu 68 das 81 entidades filiadas à CBIC.