f4d40e_92ea6f6946964b4db71c27b6c6954024_mv2

LUCIANO RUFATO É ELEITO VICE-PRESIDENTE DA FENAPC

Durante a formalização da criação da FENAPC nesta terça-feira em Goiás, o vice-presidente da Acomasul, Luciano Rufato, foi eleito vice-presidente da Federação Nacional dos Pequenos Construtores.

Luciano faz parte do grupo de estudos da FENAPC que em várias ocasiões se reúne para tratar e definir assuntos pertinentes à categoria, e posteriormente negociar as reivindicações junto às autoridades em Brasília.

O presidente da Acomasul, Adão Castilho, que também participa da formalização da FENAPC, vai fazer parte do Conselho de Administração da Federação.

A composição da FENAPC ficou assim:

PRESIDENTE: Ezequiel Sousa – GO
VICE-PRESIDENTE: Luciano Rufato (MS)

DIRETORIA ADMINISTRATIVA
1 – Diógenes Nascimento (PE)
2 – Vice: Fabiano (PR)

DIRETORIA FINANCEIRA
1 – Henrique Estevão (GO)
2 – Vice: João Ronaldo (CE)

DIRETORIA TÉCNICA
1 – Taylor (SC)
2 – Vice: Alisson (MT)

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO
1- Gabriel ACEF/MG
2- Delermond ACEG/GO
3- Adão Castilho ACOMASUL/MS
4- Ezequiel FENAPC
5- Wilson ASSPECC/CE

0
f4d40e_1f3c566e383d4fae939d36b9e8af2f67_mv2

DIRETORIA DA ACOMASUL EMBARCA PARA GOIÂNIA

O presidente da Acomasul, Adão Castilho, e o vice-presidente, Luciano Rufato, embarcam agora pela manhã para Goiânia, e retornam nessa terça-feira à noite.

Eles vão participar da formalização da criação da Fenapc (Federação Nacional dos Pequenos Construtores). O evento será em Aparecida de Goiânia, que fica a 20 quilômetros da capital de Goiás.

Na oportunidade, também serão discutidas estratégias de atuação dos construtores juntos ao governo federal para facilitar o trabalho da categoria

0
f4d40e_ee1359a154e34dfeab17792cea758f3d_mv2

REUNIÃO DA DIRETORIA DA ACOMASUL

Nesta quinta-feira pela manhã, foi realizada a primeira reunião do ano da diretoria da Acomasul.

O presidente, Adão Castilho, lembrou que 2018 não será um ano fácil porque no momento o dinheiro disponível na CEF para financiamento deve ser insuficiente para o ano todo. No entanto, a Acomasul junto com a Fenapc estão empenhadas em resolver esta questão junto às autoridades em Brasília.

O vice-presidente, Luciano Rufato, comentou detalhes da última reunião dos pequenos construtores em Brasília no dia 08/02. Várias reivindicações foram feitas para agilizar o trabalho da categoria, entre elas, o adiamento ou suspensão da exigência de asfalto para construção de imóveis pelo Minha Casa Minha Vida a partir de 2019. O Ministério das Cidades deve se manifestar sobre o assunto nos próximos dias.

A Acomasul também vai ajudar a agilizar a formação de uma Frente Parlamentar para defender os construtores em Brasília. A Frente já tem um idealizador que é o deputado federal Odorico Monteiro do Ceará.

Adão Castilho reforçou que do dia 19 a 21 de fevereiro ele estará junto com Luciano Rufato em Aparecida de Goiânia para formalizar a criação da Fenapc (Federação Nacional dos Pequenos Construtores).

Ao final, a diretoria votou pela proposta de modificação do estatuto da Acomasul. O associado inadimplente será excluído depois de 3 meses de atraso e não mais 6 meses. Além disso, 20% dos integrantes da diretoria serão de outras categorias, os outros 80% dos cargos serão exclusivos para os construtores. As mudanças serão levadas à uma Assembleia no mês de março para aprovação.

0
f4d40e_19d5b3ef6bfc4c15aae00f50c8ec92df_mv2

RESULTADO DA REUNIÃO COM MINISTÉRIO DAS CIDADES, CEF E BB

Nesta quinta-feira, 08/02, o vice-presidente da Acomasul Luciano Rufato esteve em Brasília. Rufato junto com o presidente da FENAPC, Ezequiel Sousa, e demais membros da diretoria interina da Federação Nacional dos Pequenos Construtores se reuniram com a equipe técnica do Ministério das Cidades. Estavam presentes a Secretária Nacional de Habitação Maria do Socorro Gadelha Campos de Lira, e o Secretário Executivo Silvani Pereira. 

A FENAPC pediu a prorrogação da exigência de asfalto, a partir de 2019, para construir imóveis pelo Minha Casa Minha Vida; desconto nas taxas de cartório conforme lei do Minha Casa Minha Vida que prevê desconto de 50%; e garantia que não irão faltar recursos na CEF para financiamentos imobiliários.

“A equipe técnica do Ministério das Cidades se comprometeu a estudar os assuntos e nos dar uma resposta depois do Carnaval”, disse o presidente da FENAPC, Ezequiel Sousa. 

A FENAPC também  pediu a suspensão do Sistema de Comunicação Prévia de Obras que é feito no site do Ministério do Trabalho. “Fomos informados que o sistema já foi suspenso até que sejam definidos critérios junto ao Ministério das Cidades e regulamentação junto ao Conselho Curador do FGTS”, afirmou Luciano Rufato.

A FENAPC se reuniu ainda com a direção executiva do Banco do Brasil para manifestar a insatisfação com os critérios equivocados da exigência de galerias de águas pluviais. A diretoria do BB afirmou que esta questão também está sendo resolvida e que não vai impedir a comercialização de imóveis. Eles acataram o entendimento da FENAPC que é o mesmo entendimento da CEF e do Ministério das Cidades. O BB também comunicou que nos próximos dias deve ser divulgado o novo manual de regras do Banco do Brasil.

Em todas as reuniões, a FENAPC aproveitou a oportunidade para estreitar relações com as Entidades. No caso do Banco do Brasil, foi o primeiro contato com a instituição, e quem fez a ponte foi a assessoria do ministro Carlos Marun.

O objetivo da FENAPC é ter sempre um canal direto para resolver questões que atrapalham o trabalho do pequeno construtor.

0
f4d40e_ed32563f3b0d43c1ad2d947f5cfafd8f_mv2

ACOMASUL REALIZA WORKSHOP

Vários associados participaram na noite dessa terça-feira do Workshop com o vice-presidente da Acomasul, o engenheiro Luciano Rufato. O tema foi “Regulamentação da Pessoa Jurídica e Entendimento da CEF de acordo com a Portaria 570 do Ministério das Cidades – Minha Casa Minha Vida”.

A palestra no auditório da ANOREG em Campo Grande teve duração de 2 horas. Luciano também falou sobre as novas exigências para construção de imóveis pelo Minha Casa Minha Vida a partir de 2019.

“Foi muito interessante, pude tirar várias dúvidas. É fundamental ter o conhecimento das regras para ser mais competitivo neste segmento”, disse o associado Danilo Carvalho de Souza.

Já a associada Lucimar Mara Barreto elogiou a dinâmica do Workshop. “Foi muito didático e esclarecedor. No meu caso tinha muitas dúvidas que foram esclarecidas sobre RRT (Registro de Responsabilidade Técnica).

Para o presidente da Acomasul, Adão Castilho, serão realizados durante este ano outros eventos para colocar o associado em contato com todas as novidades do setor. “Um dos objetivos da nossa Associação é justamente ter o máximo de entendimento das regras para facilitar o trabalho do construtor”, disse Castilho.

0
f4d40e_e2949ea127e047bd8c53e12ff1e3bd2c_mv2

PREÇO DE VENDA DE IMÓVEIS EM JANEIRO FICA ESTÁVEL

O preço dos imóveis residenciais ficou praticamente estável em janeiro  (-0,01%). Em dezembro, a variação foi de (+0,01). O índice é medido pela FIPE/ZAP e foi divulgado nesta terça-feira.

O relatório da pesquisa aponta que janeiro e fevereiro são os meses em que mais se registra tendência de queda. Portanto, esta estabilidade revela que no decorrer de 2018 os imóveis vão se valorizar.

De 2014 a 2017, a queda acumulada no preço dos imóveis foi de 17%. Para os economistas da FIPE, este ciclo de quedas chegou a fim.

0
f4d40e_434dfe152771406199ebabb91a415885_mv2

CRÉDITO IMOBILIÁRIO TEVE CRESCIMENTO EM DEZEMBRO

Os financiamentos imobiliários com recursos das cadernetas do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) somaram R$ 3,68 bilhões em dezembro, crescimento de 17% em relação a novembro.

Já em comparação a dezembro de 2016, houve queda de 31,6%. Em 2017, o volume total de financiamento do SBPE atingiu R$ 43,15 bilhões, 7,4% inferior ao apurado em 2016.

Os dados são da Associação Brasileira das Empresas de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip).

0
f4d40e_8fac3f1610a24818a19eaa344faf8a35_mv2

CAIXA ESTUDA INCLUIR ELETRODOMÉSTICOS NO MINHA CASA MINHA VIDA

O presidente da Caixa Econômica Federal, Gilberto Occhi, informou que a instituição financeira estuda, em parceria com o Ministério das Cidades, incluir nos imóveis do Programa Minha Casa, Minha Vida uma geladeira, um fogão e uma televisão.

“Nós estamos estudando isso, para que a família possa ter um conforto maior”, afirmou o presidente da CEF.

Segundo Gilberto Occhi, a ideia é não onerar as construtoras, a própria CEF arcaria com o custo e o valor seria diluído nas prestações.

0
f4d40e_c7bbaf7ea76c43a987ee729c06a97e46_mv2

GOVERNO JÁ ESTUDA RECAPITALIZAR CEF SEM RECURSOS DO FGTS

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse nesta quarta-feira em Davos, na Suíça, que o PIB em 2018 deve ficar acima de 2,7%, que é o previsto pelo mercado financeiro. Meirelles acredita que o PIB vai passar de 3%.

Ele reafirmou também que o governo vai viabilizar a recapitalização da Caixa Econômica Federal para que o banco siga emprestando principalmente no setor habitacional. Segundo Meirelles, estão sendo estudadas propostas de recapitalização sem a utilização dos recursos do FGTS.

Entre as opções. ele citou a distribuição de dividendos da União. Outra opção, seria a cessão de carteiras da Caixa para outras instituições, permitindo que o banco invista mais em habitação.

0