f4d40e_863ce25fe18148faadf2176189ede855_mv2

DIRETOR DA CEF GARANTE QUE ESTÁ RESOLVIDA A CONCESSÃO DE CRÉDITO ATÉ 2019

O diretor de Habitação da CEF, Paulo Antunes de Siqueira, garantiu que os problemas da Caixa com as exigências do Acordo de Basileia foram superados, dando tranquilidade para a concessão de crédito em 2018 e 2019.

Segundo Paulo Siqueira, parte dos lucros da instituição será revertida para seu patrimônio, elevando o patamar de concessão de empréstimos. O anúncio foi feito na reunião mensal do Comitê de Habitação Popular do SindusCon-SP.

O diretor de habitação também divulgou que, segundo dados do Simulador da Caixa, em 2017 foram feitas 97 milhões de simulações de financiamento. Dos interessados, 75% querem imóveis de até R$ 200 mil.

f4d40e_9ae479f5e66742fcbf7bf1a0f6e4101f_mv2-1

ACOMASUL REALIZA PRIMEIRA REUNIÃO DO ANO COM ASSOCIADOS

A reunião foi nesta quarta-feira à noite, 28/02, na ANOREG em Campo Grande e teve a transmissão ao vivo pelo facebook para associados do interior de MS.

O presidente da Acomasul, Adão Castilho, abriu a reunião lembrando que 2018 será um ano difícil mas de recuperação do setor da construção civil. “É um ano de oportunidades para quem oferece um produto diferenciado, e a nossa Associação fornece todo o respaldo para que as construções sejam de excelente qualidade, o que faz a diferença na hora da venda”, disse Castilho.

O vice-presidente da Acomasul, Luciano Rufato, lembrou das ações da última reunião em Brasília no começo de fevereiro. “Estamos à espera da resposta do Ministério das Cidades sobre as nossas reivindicações. A prorrogação ou suspensão da exigência de asfalto a partir de 2019 para construção de imóveis do Minha Casa Minha Vida é a nossa luta do MMA”, enfatizou Luciano.

Na próxima semana, a Acomasul e a FENAPC (Federação Nacional dos Pequenos Construtores) vão novamente à Brasília para várias reuniões, entre elas com a CEF, Banco do Brasil, Conselho Curador do FGTS e provavelmente Associação Nacional dos Municípios, Conselho Nacional de Justiça e Receita Federal. O objetivo é facilitar normas de construção e financiamento, pedir apoio para a suspensão da exigência de asfalto, e fazer valer o direito de desconto de taxas de cartório para imóveis do Minha Casa Minha Vida.

A reunião desta quarta-feira teve ainda a participação do presidente da ANOREG, Juan Pablo Correa Gossweiler e do Dr. Elder Dutra do Cartório do 5º Ofício. Participaram também os gerentes do Banco do Brasil, Samuel Herebia, Deva e Francisco Martins.

Três empresas apresentaram seus produtos: JBC Portas e Janelas, Valenza Ambiental, e Emmedue. Esta última apresentou um processo inovador para construção de casas.

Ao final da reunião, Adão Castilho, falou da situação do jardim Sumatra em Campo Grande onde vários terrenos estão com problema e aguardam regularização pela prefeitura.

f4d40e_0e480302a8874cfc81f0a993b4d37dd9_mv2

MINISTRO DAS CIDADES CITA PEQUENOS CONSTRUTORES

O ministro das Cidades, Alexandre Baldy, reafirmou hoje que o programa Minha Casa Minha Vida é o mais importante dentre os programas sociais do governo. Segundo o ministro, o Minha Casa Minha Vida vai receber mais investimentos do governo federal.

“Já retomamos em 2018 a construção de 73 mil moradias em vários estados. Vamos contratar ainda 650 mil moradias para serem construídas este ano”, disse Baldy.

Alexandre Baldy disse também que o governo federal vai incentivar, além das grandes construtoras, outras entidades que trabalham pelo Minha Casa Minha Vida. “Sabemos que existem pequenos construtores focados neste setor. Eles são tão importantes quanto às grandes construtoras”, afirmou o ministro.

A entrevista foi concedida à EBC – Empresa Brasil de Comunicação.

f4d40e_92ea6f6946964b4db71c27b6c6954024_mv2

LUCIANO RUFATO É ELEITO VICE-PRESIDENTE DA FENAPC

Durante a formalização da criação da FENAPC nesta terça-feira em Goiás, o vice-presidente da Acomasul, Luciano Rufato, foi eleito vice-presidente da Federação Nacional dos Pequenos Construtores.

Luciano faz parte do grupo de estudos da FENAPC que em várias ocasiões se reúne para tratar e definir assuntos pertinentes à categoria, e posteriormente negociar as reivindicações junto às autoridades em Brasília.

O presidente da Acomasul, Adão Castilho, que também participa da formalização da FENAPC, vai fazer parte do Conselho de Administração da Federação.

A composição da FENAPC ficou assim:

PRESIDENTE: Ezequiel Sousa – GO
VICE-PRESIDENTE: Luciano Rufato (MS)

DIRETORIA ADMINISTRATIVA
1 – Diógenes Nascimento (PE)
2 – Vice: Fabiano (PR)

DIRETORIA FINANCEIRA
1 – Henrique Estevão (GO)
2 – Vice: João Ronaldo (CE)

DIRETORIA TÉCNICA
1 – Taylor (SC)
2 – Vice: Alisson (MT)

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO
1- Gabriel ACEF/MG
2- Delermond ACEG/GO
3- Adão Castilho ACOMASUL/MS
4- Ezequiel FENAPC
5- Wilson ASSPECC/CE

f4d40e_1f3c566e383d4fae939d36b9e8af2f67_mv2

DIRETORIA DA ACOMASUL EMBARCA PARA GOIÂNIA

O presidente da Acomasul, Adão Castilho, e o vice-presidente, Luciano Rufato, embarcam agora pela manhã para Goiânia, e retornam nessa terça-feira à noite.

Eles vão participar da formalização da criação da Fenapc (Federação Nacional dos Pequenos Construtores). O evento será em Aparecida de Goiânia, que fica a 20 quilômetros da capital de Goiás.

Na oportunidade, também serão discutidas estratégias de atuação dos construtores juntos ao governo federal para facilitar o trabalho da categoria

f4d40e_ee1359a154e34dfeab17792cea758f3d_mv2

REUNIÃO DA DIRETORIA DA ACOMASUL

Nesta quinta-feira pela manhã, foi realizada a primeira reunião do ano da diretoria da Acomasul.

O presidente, Adão Castilho, lembrou que 2018 não será um ano fácil porque no momento o dinheiro disponível na CEF para financiamento deve ser insuficiente para o ano todo. No entanto, a Acomasul junto com a Fenapc estão empenhadas em resolver esta questão junto às autoridades em Brasília.

O vice-presidente, Luciano Rufato, comentou detalhes da última reunião dos pequenos construtores em Brasília no dia 08/02. Várias reivindicações foram feitas para agilizar o trabalho da categoria, entre elas, o adiamento ou suspensão da exigência de asfalto para construção de imóveis pelo Minha Casa Minha Vida a partir de 2019. O Ministério das Cidades deve se manifestar sobre o assunto nos próximos dias.

A Acomasul também vai ajudar a agilizar a formação de uma Frente Parlamentar para defender os construtores em Brasília. A Frente já tem um idealizador que é o deputado federal Odorico Monteiro do Ceará.

Adão Castilho reforçou que do dia 19 a 21 de fevereiro ele estará junto com Luciano Rufato em Aparecida de Goiânia para formalizar a criação da Fenapc (Federação Nacional dos Pequenos Construtores).

Ao final, a diretoria votou pela proposta de modificação do estatuto da Acomasul. O associado inadimplente será excluído depois de 3 meses de atraso e não mais 6 meses. Além disso, 20% dos integrantes da diretoria serão de outras categorias, os outros 80% dos cargos serão exclusivos para os construtores. As mudanças serão levadas à uma Assembleia no mês de março para aprovação.

f4d40e_19d5b3ef6bfc4c15aae00f50c8ec92df_mv2

RESULTADO DA REUNIÃO COM MINISTÉRIO DAS CIDADES, CEF E BB

Nesta quinta-feira, 08/02, o vice-presidente da Acomasul Luciano Rufato esteve em Brasília. Rufato junto com o presidente da FENAPC, Ezequiel Sousa, e demais membros da diretoria interina da Federação Nacional dos Pequenos Construtores se reuniram com a equipe técnica do Ministério das Cidades. Estavam presentes a Secretária Nacional de Habitação Maria do Socorro Gadelha Campos de Lira, e o Secretário Executivo Silvani Pereira. 

A FENAPC pediu a prorrogação da exigência de asfalto, a partir de 2019, para construir imóveis pelo Minha Casa Minha Vida; desconto nas taxas de cartório conforme lei do Minha Casa Minha Vida que prevê desconto de 50%; e garantia que não irão faltar recursos na CEF para financiamentos imobiliários.

“A equipe técnica do Ministério das Cidades se comprometeu a estudar os assuntos e nos dar uma resposta depois do Carnaval”, disse o presidente da FENAPC, Ezequiel Sousa. 

A FENAPC também  pediu a suspensão do Sistema de Comunicação Prévia de Obras que é feito no site do Ministério do Trabalho. “Fomos informados que o sistema já foi suspenso até que sejam definidos critérios junto ao Ministério das Cidades e regulamentação junto ao Conselho Curador do FGTS”, afirmou Luciano Rufato.

A FENAPC se reuniu ainda com a direção executiva do Banco do Brasil para manifestar a insatisfação com os critérios equivocados da exigência de galerias de águas pluviais. A diretoria do BB afirmou que esta questão também está sendo resolvida e que não vai impedir a comercialização de imóveis. Eles acataram o entendimento da FENAPC que é o mesmo entendimento da CEF e do Ministério das Cidades. O BB também comunicou que nos próximos dias deve ser divulgado o novo manual de regras do Banco do Brasil.

Em todas as reuniões, a FENAPC aproveitou a oportunidade para estreitar relações com as Entidades. No caso do Banco do Brasil, foi o primeiro contato com a instituição, e quem fez a ponte foi a assessoria do ministro Carlos Marun.

O objetivo da FENAPC é ter sempre um canal direto para resolver questões que atrapalham o trabalho do pequeno construtor.

f4d40e_ed32563f3b0d43c1ad2d947f5cfafd8f_mv2

ACOMASUL REALIZA WORKSHOP

Vários associados participaram na noite dessa terça-feira do Workshop com o vice-presidente da Acomasul, o engenheiro Luciano Rufato. O tema foi “Regulamentação da Pessoa Jurídica e Entendimento da CEF de acordo com a Portaria 570 do Ministério das Cidades – Minha Casa Minha Vida”.

A palestra no auditório da ANOREG em Campo Grande teve duração de 2 horas. Luciano também falou sobre as novas exigências para construção de imóveis pelo Minha Casa Minha Vida a partir de 2019.

“Foi muito interessante, pude tirar várias dúvidas. É fundamental ter o conhecimento das regras para ser mais competitivo neste segmento”, disse o associado Danilo Carvalho de Souza.

Já a associada Lucimar Mara Barreto elogiou a dinâmica do Workshop. “Foi muito didático e esclarecedor. No meu caso tinha muitas dúvidas que foram esclarecidas sobre RRT (Registro de Responsabilidade Técnica).

Para o presidente da Acomasul, Adão Castilho, serão realizados durante este ano outros eventos para colocar o associado em contato com todas as novidades do setor. “Um dos objetivos da nossa Associação é justamente ter o máximo de entendimento das regras para facilitar o trabalho do construtor”, disse Castilho.

f4d40e_e2949ea127e047bd8c53e12ff1e3bd2c_mv2

PREÇO DE VENDA DE IMÓVEIS EM JANEIRO FICA ESTÁVEL

O preço dos imóveis residenciais ficou praticamente estável em janeiro  (-0,01%). Em dezembro, a variação foi de (+0,01). O índice é medido pela FIPE/ZAP e foi divulgado nesta terça-feira.

O relatório da pesquisa aponta que janeiro e fevereiro são os meses em que mais se registra tendência de queda. Portanto, esta estabilidade revela que no decorrer de 2018 os imóveis vão se valorizar.

De 2014 a 2017, a queda acumulada no preço dos imóveis foi de 17%. Para os economistas da FIPE, este ciclo de quedas chegou a fim.